“Sitting” e a importância da Ginástica Laboral


Surge a tendência de que, cada vez se passa mais tempo “com os olhos postos em ecrãs”, sejam eles, televisão, computador, “telemóveis e afins”…! Associado a isto, “o novo vício da sociedade” (tecnologia, muitas vezes, mal usada, sem objectivo, (…)), será inevitável abordar o tema dos riscos psicossociais. Este não é recente (mas tem vindo a vulgarizar-se…) e tem vindo a consciencializar as entidades empregadoras e os trabalhadores para a proporção que estes riscos acarretam para a vida das pessoas e das empresas.

O stress é um grande problema de saúde relacionado com o trabalho e pode estar na origem de várias patologias, como a ansiedade, depressão, dificuldades de compreensão, irritabilidade, etc.

Outro problema no âmbito laboral, cada vez mais comum, é a má postura. Trabalha-se cada vez mais e, portanto, passa-se cada vez mais tempo (mal) sentado à secretária. Isto faz com que, muitas vezes, os trabalhadores “se esqueçam” de fazer “intervalos laborais”, ou seja, levantar, caminhar um pouco, alongar, mobilizar as articulações, beber água, etc., por terem (inúmeros(as)) prazos, objectivos, tarefas a cumprir…

Consequentemente, vão surgindo as Lesões por Esforço Repetitivo (LER) ou os Distúrbios Osteomusculares Relacionados com o Trabalho (DORT) que são as designações que podem levar à ocorrência de afecções de músculos, tendões, sinóvias (revestimento das articulações), nervos, fáscias e ligamentos, isoladas ou combinadas, com ou sem degeneração de tecidos.

Infelizmente, nestas horas e horas a fio sentado, o ser humano vai alterando a sua postura, mais concretamente, vai adoptando a chamada “postura de tartaruga”. Isto é, a comum posição de sentado, cada vez mais observada nos ambientes laborais, em que há uma compressão constante na coluna. E, portanto, os trabalhadores adoptam uma “postura curvada” parecendo, assim, uma tartaruga. Assim sendo, há uma tremenda força compressiva (imposta, durante horas e horas a fio) na zona lombar. E isto leva à deteriorização permanente dos discos intervertebrais e, pode também, levar à diminuição/ ao declinar da mobilidade… Esta postura acarreta, também, problemas para os ombros, braços, zona torácica, zona abdominal, etc., promovendo também problemas digestivos, circulatórios, respiratórios…

A posição oposta (ou correcta) à posição de tartaruga é uma posição neutra (de sentado), uma “poderosa” posição em que se mantêm as curvaturas neutras (normais) da coluna.

Tem-se assistido a um aumento significativo das doenças cardiovasculares, cancro, alzheimer, diabetes e doenças cardiorespiratórias crónicas. Este aumento, epidémico, está estritamente relacionado com alterações no estilo de vida, nomeadamente, o tabagismo, inactividade física (sedentarismo) e a uma alimentação não saudável.

Contudo, nem tudo será mau…! De forma geral, “a sociedade”, alertada para os males do sedentarismo, “já se começa a mexer”! Já começa a recorrer à prática de actividade física e/ou de exercício físico. As empresas começam já, também, a promover Ginástica Laboral para os seus colaboradores.

Existem, assim, três tipos de Ginástica Laboral – A Ginástica Preparatória (exercícios realizados no início da jornada de trabalho), a de Relaxamento (realizada no final do expediente para relaxar os músculos exigidos ao longo do dia) e a Compensatória (interrompe a monotonia operacional para executar exercícios específicos e compensar os esforços repetitivos e as posições inadequadas dos postos de trabalho).

A Ginástica Laboral apresenta, assim, vários benefícios como a prevenção de doenças laborais, a redução do sedentarismo, a melhoria da condição física, a redução da fadiga, o combate a tensões musculares, a melhoria da auto-estima, o aumento da produtividade, melhoria em âmbito social e benefícios fisiológicos.

Concluindo, a Actividade Física, o Exercício Físico, o Desporto para Todos e a Ginástica Laboral serão essenciais (serão o “melhor comprimido”!) para a nossa saúde e bem-estar.

Há que manter e “inovar” neste âmbito para prevenir, retardar e/ou evitar as doenças que, cada vez mais, atingem “sem dó nem piedade” a sociedade.

Referências:

Adelar Sampaio, A.S. (2009). A Ginástica Laboral na promoção da saúde e melhoria da qualidade de vida no trabalho. Acedido em 5 de Abril de 2020 em: URL –

http://saber.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/1649/1726

5 benefícios que comprovam a importância da ginástica laboral. A Ocupacional, (2017). Acedido em 5 de Abril de 2020 em: URL – https://www.ocupacional.com.br/blog/2017/09/08/5-beneficios-que-comprovam-importancia-da-ginastica-laboral/

Ginástica laboral: 9 benefícios no ambiente de trabalho. Beta Educação, (2016). Acedido em 5 de Abril de 2020 em: URL – https://betaeducacao.com.br/os-9-beneficios-da-ginastica-laboral-no-ambiente-de-trabalho/

ÚLTIMOS ARTIGOS