Mitos ligados à electroestimulação

A electroestimulação é uma forma de solicitação muscular cada vez mais utilizada como complemento do treino. No mercado são cada vez mais alargadas as propostas para este tipo de atividade, o problema é que nem todas estão devidamente certificadas e, como tal, a qualidade e fiabilidade de alguns aparelhos deixa um pouco a desejar.

O estímulo elétrico, gerado pelo estimulador, chega ao tecido nervoso ao nível da placa motora. Assim, a ordem para a contração muscular, contrariamente ao movimento voluntário, não é proveniente do sistema nervoso central, mas sim de um estímulo externo.

Tendo em conta que o estímulo provém de uma carga elétrica a electroestimulação tem vindo a ser sujeita a um conjunto de mitos. Hoje escolhemos dois para esclarecer convosco.

Mito 1 – Risco de rotura de tendões

Este facto não tem lógica. Em primeiro lugar, porque estão sugeridas adaptações tendinosas, em resultado deste tipo de estímulo. Em segundo lugar, porque não são necessárias tensões superiores às realizadas para o treino de força máxima voluntária para melhorar esta capacidade através da electroestimulação.

Mito 2- Electroestimulação é treino “artificial”

Em primeiro lugar não se afigura tarefa fácil conseguir saber o que entende por treino “natural” e “artificial”. O treino natural em musculação seria, no nosso entender, o que recorria apenas à utilização do peso do próprio corpo e a movimentos do quotidiano ou relativos às técnicas de uma determinada modalidade. Sabe-se, no entanto, que a capacidade de adaptação muscular exige que as cargas de treino sejam aumentadas em função da evolução de casa sujeito e, recorrendo apenas ao peso do próprio corpo, essa possibilidade de ajuste é muito reduzida.

Em suma, no nosso entender o importante é encarares a electroestimulação como um complemento de treino e não como um método de treino exclusivo como, erradamente, é sugerido na comunicação social.

Frederico Fernandes – Fitness Instructor

Rui Garganta, A. P. (Janeiro 2006). Musculação, uma abordagem dirigida para as questões da saúde e bem estar. Lisboa: Fitness é Manz.

ÚLTIMOS ARTIGOS