Incidência das discopatias nas diferentes regiões da Coluna Vertebral

É muito comum nos dias de hoje ouvirmos falar em patologias de coluna, dores de costas, desvios posturais, e muitas outras questões relacionadas com este tema. Mas então qual será o motivo? Na realidade, dentro da nossa sociedade existem dois grupos distintos de pessoas: as que têm dores de costas e as que ainda irão ter dores de costas.

A coluna vertebral é composta por 5 regiões, a cervical, dorsal, lombar, sacral e cóccix. Ao longo destas cinco regiões, encontramos 33 vertebras por elas distribuídas, 7 na região cervical, 12 na região dorsal, 5 na região lombar (estas 24 vertebras consideram-se móveis), na região sacral encontramos 5 vertebras fundidas e na região do cóccix mais 4 também fundidas e com um tamanho muito reduzido.

Relativamente ao nível de incidência de patologias da coluna, aquela patologia mais comum entre a sociedade são as discopatias, hérnias discais. Segundo a Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, 7 em cada 10 portugueses sofrem ou já sofreram de dores nas costas, sendo que grande parte delas são lombalgias (dores na região lombar).

Um dos grandes motivos da incidência das dores de costas ser maioritariamente na região lombar tem a ver com fatores mecânicos, isto em cerca de 80% dos casos. Isto deve-se muitas das vezes a uma mobilidade reduzida, a uma deficiente musculatura nessa região, hábitos de vida, etc. Considera-se muito importante no dia-a-dia destas pessoas a aquisição de novos hábitos, nomeadamente a atividade física e o reforço muscular desta musculaturas eretoras e estabilizadoras da coluna.

As hérnias discais possuem diversas classificações, tanto relativamente à sua orientação como à sua posição. Em muitos casos, muitas pessoas podem desenvolver hérnias discais e nunca saberem que a possuem, pois nunca desenvolveram sintomas. Isto deve-se à natureza da sua orientação e posição. Ainda assim, em cerca de 66% dos casos, as hérnias discais podem ser reabsorvidas pelo nosso organismo, através da ação do nosso sistema imunitário, diminuindo assim os sintomas (casos eles tenham existido anteriormente).

Como já referido anteriormente, a região lombar apresenta a maior percentagem de incidências destas discopatias, cerca de 85% dos casos. Sendo que a região de L5-S1 (intervalo entre a última vertebra lombar e primeira vertebral sacral) é a região mais afetada, logo seguida pela L4-L5 (intervalo entre a quarta e quinta vertebras lombares). Isto deve-se à natureza da curvatura da coluna existente nesta zona (lordose lombar). Curvatura essa que existe com o objetivo de amortecimento (além das outras restantes 3 curvaturas da coluna, perfazendo o total de 4 curvaturas existentes na coluna), no entanto essas vertebras posicionam-se na base dessa curvatura, tornando-se assim uma região atingida por grandes cargas axiais, o que poderá ter estas consequências caso o indivíduo não possua uma boa massa muscular na zona, boa mobilidade articular, hábitos de vida saudáveis como a pratica regular de exercício, evitar stress e situações traumáticas.

Referencias

Curso Formação Intensiva – Exercícios corretivos na Patologias de Coluna – Manz Dez2018

João Costa

ÚLTIMOS ARTIGOS