Importância da Atividade Física para Jovens

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a inatividade física é uma das principais causas de morte a nível global e, deste modo, a identificação de estratégias que possam proporcionar um aumento dos níveis de atividade física, principalmente nos jovens, deve ser uma das prioridades dos governos na defesa da saúde pública. A atividade física é essencial para um desenvolvimento normal nos jovens, e é sobretudo importante para a prevenção da obesidade e, em última instância, para a perda de peso.

Com a evolução dos tempos, a prática de atividade física começou a ser cada vez mais divulgada e a expansão de grandes cadeias de ginásios é algo que definitivamente contribuiu para tal mexida. Com esta evolução, o conceito de medicina do exercício também tem sido algo que tem tido uma divulgação cada vez mais abrangente, recorrendo à prática de atividade física de modo a funcionar como uma medicina preventiva para diversos tipos de doenças e patologias.

Um estudo de Vilhena de Mendonça (2014) defende que esta mudança paradigmática está fundamentalmente relacionada com os avanços científicos nas áreas das ciências da saúde que vieram comprovar que, quanto melhor o perfil cardiorrespiratório, de flexibilidade, de força e de composição corporal infantil, menor a predisposição individual de evolução para a doença e/ou incapacidade funcional.

É na adolescência que a prática de atividade física pode ganhar contornos menos saudáveis. Assim o importante nesta etapa não é evitar a prática de atividade física, mas sim incentivá-la de forma saudável, para que os adolescentes consigam encontrar uma forma de se divertirem, socializarem, aprenderem e crescerem, num contexto que potencializa o seu bem-estar. Adolescentes que praticam atividade física regularmente, são mais propensos a manter esta conduta ativa no decorrer da sua vida.

Atividades de prática desportiva organizada é um dos métodos com maior potencial para aumentar a prática de atividade física nos jovens. Neste sentido, ginásios, clubes e associações desportivas têm uma maior probabilidade de sucesso devido à componente social associada, conjugando ambas as vertentes e sendo, desta forma, mais apetecível para os jovens com menos gosto para a prática de atividade física.

Sendo o sedentarismo uma das questões mais fraturantes da sociedade contemporânea e, mais concretamente no que diz respeito à saúde pública, é importante ter em consideração as metodologias de treino aplicadas aos jovens, de modo a que este seja motivante, seguro, adequado e que promova nos jovens o gosto pela prática de atividade física e/ou desportiva.

Vilhena de Mendonça, G (2014). Aptidão Física na criança e no adolescente. Em Cordovil, R., & Barreiros, J. (2014). .Desenvolvimento Motor na Infância, 173-216. Edições FMH.

Paulo Rufino – Pump Barreiro

ÚLTIMOS ARTIGOS