Flexibilidade: Alongamento estático vs Alongamento dinâmico

Flexibilidade provem do latim, flectere ou flexibilis e pode ser definida pela capacidade de mover uma articulação através da sua amplitude de movimento (ACSM 2010), e considerada uma qualidade física, Segundo Freitas S. 2010, é a capacidade que um indivíduo apresenta de variar a amplitude articular de uma ou mais articulações.

Esta capacidade depende de vários fatores, tipo de articulação, estrutura óssea, elasticidade dos tecido muscular, tendões, ligamentos e temperatura corporal. Fatores endógenos, também influenciam nesta capacidade, tais como a idade, o sexo, temperatura ambiente e a hora do dia, ex. ao acordar existe maior resistência muscular aos movimentos de grande amplitude, por exemplo Bompa 1999, refere que a maior amplitude é conseguida entre as 10h e as 11h e entre as 16h e as 17h.

A treino da flexibilidade demonstra várias vantagens para a saúde, entre eles diminuição de tensão e stress, melhoria da postura, prevenção de lesões, aumento de força e aumento da eficiência do movimento.

O alongamento é a técnica para treinar a flexibilidade, e este pode ser estático ou dinâmico.

Alongamento estático, reflete-se na amplitude de movimento em determinada articulação, conseguida através de um alongamento dos músculos antagonistas, sob efeito do peso corporal ou de uma força externa, que ajuda a manter uma posição durante um período de tempo, por exemplo o alongamento assistido por um Personal Trainer no final de uma sessão de treino personalizado.

Inicialmente, estudos indicavam que o alongamento estático deveria ser utilizado antes e depois de qualquer atividade física, mas na década de 80 as pesquisas começam a mostrar que a utilização deste método de treino poder reduzir a potência e força do atleta, apesar dos seus benefícios para a saúde. Estudos demonstram ganhos da flexibilidade e mobilidade, capacidades estas que ajudam na prevenção de lesões, mas este método de treino deve ser aplicado de forma especifica e personalizada a cada individuo, estudos indicam que pós-esforço intenso não proporciona melhorias no desempenho.

Alongamento dinâmico é produzido através de utilização de forças internas, ou seja, é a amplitude máxima de uma articulação conseguida através da contração dos músculos agonistas e simultaneamente o alongamento dos músculos antagonistas.

O Alongamento dinâmico posiciona-se como uma opção para o aquecimento pré-treino, este método aumenta a temperatura corporal e a circulação sanguínea, consequentemente uma maior circulação de oxigénio na corrente sanguínea para os músculos usando de forma mais eficaz a glicose muscular armazenada, devem ser feitos de forma leve gerando um leve aquecimento, e aumentando a velocidade gradualmente, que resultará numa maior velocidade de reação e coordenação de movimentos. Este tipo de alongamento na maioria das vezes tem uma estreita relação com os padrões de movimento que iremos utilizar durante a atividade física.

Diante do exposto, verificamos que os 2 métodos de alongamento produzem efeitos benéficos na saúde e performance física, desde que utilizados de forma organizada e adequada a cada individuo.

Alongamentos estáticos é um excelente método para melhoria da flexibilidade, na minha opinião devem ser evitados este tipo de exercícios no pós e pré treino, e serem utilizados em treino isolado. Deve ser utilizado em atletas que apresentem um corpo rígido devido a pratica da sua modalidade desportiva, em adultos que com o avançar da idade tendem a perder flexibilidade devido a sua atividade laboral e aumento do sedentarismo ou ate é em jovens adolescentes que crescem com défice de flexibilidade.

Alongamento dinâmico é então defendido como um método de alongamento benéfico e com a finalidade de aumentar a performance física de atletas, podendo prevenir lesões. Deve ser parte integrante do processo de treino, uma vez que utiliza a velocidade do movimento controlado , esforço muscular ativo para provocar o alongamento e de acordo com o principio da especificidade parece óbvio realizar alongamento dinâmico antes de atividades dinâmicas.

Nesta fase em que nos encontramos, o treino da flexibilidade terá inúmeros benefícios para a nossa saúde, não necessita de equipamentos nem muito espaço para os realizarmos e são uma excelente opção para realizarmos em casa, relaxar o corpo, aliviar o stress vivido neste tempo conturbados. Existem inúmeros exercícios, procure aconselhamento junto de um profissional qualificado para conhecer a melhor opção para si, consoante o seu histórico, patologias e condicionantes.

Trabalhamos de pessoas para pessoas, de nós para si.

Treine em segurança, fique em casa e até breve.

Bibliografia:

Michael J. Alter, 2004, Science Of Flexibility, Third edition

João Moscão, 2016, “Paradigma inflexivel”

Ernesto Ferreira, 2016, Correr sem Lesões

Holmes Place Personal Training Foundation Course, Prescrição de exercício

ÚLTIMOS ARTIGOS